quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

O tédio


Os monges Zens, quando querem meditar, sentam-se diante de uma rocha: “agora vou esperar esta rocha crescer um pouco”, dizem.

Tudo a nossa volta está mudando constantemente.

A cada dia que o sol nasce, ilumina um mundo novo. Aquilo que chamamos de rotina, está cheia de novas propostas e oportunidades. Mas, como estamos por demais acostumados com ela, não percebemos que cada dia é diferente do anterior.

Hoje, em algum lugar, um tesouro lhe espera. Pode ser um pequeno sorriso, pode ser uma grande conquista - não importa.

A vida é feita de pequenos e grandes "milagres". Nada é aborrecido, porque tudo está mudando constantemente.

O tédio não está no mundo, mas na maneira como vemos o mundo.

Como dizia o poeta T.S. Eliott: “percorrer muitas estradas/ voltar para casa / e olhar tudo como se fosse pela primeira vez”.

2 comentários:

Rafael disse...

A menssagem por trás destas palavras, são um tesouro.

Agradeço,

No intento

Francisco disse...

Michel,
É um presente acessar seu blog diariamente.
Esse texto a respeito do tédio me calou fundo; pois vivo o tema diariamente e tento me reinventar.
Foi como uma injeção de ânimo.
Muito obrigado.
Gasshô.
Manoel