segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O zen na ação


"Antes da iluminação, cortar lenha, carregar água. Depois da iluminação; cortar lenha, levar água. Provérbio Zen.

Em meio ao caos do mundo moderno, há uma beleza em simplesmente fazer. É preciso encontrá-la.

Nós somos esbofeteados descontroladamente por e-mails, conversas, notícias, eventos, demandas, que estão acontecendo ao nosso redor a todo tempo. Nossas mentes se tornam um constante bombardeio de pensamentos aprisionados ao passado, preocupações do futuro, as distrações nos puxando em todas as direções.

Mas tudo isso se desfaz quando nos concentramos apenas em fazer.

Não importa, o que a fazer é: sentar, andar, escrever, ler, comer, meditar, pedalar, brincar, etc. Quando conseguimos estar totalmente absorvidos pela ação, nós deixamos cair as nossas preocupações e ansiedades, ciúmes e raiva, luto e distração.

Há algo profundo em que a simplicidade, algo que, em última análise seria com um coração feliz e uma respiração tranquila.

"Ao caminhar, simplesmente caminhe. Quando comer, simplesmente coma. Provérbio zen.

Você está no meio do seu dia hoje, e fica preso na tempestade de pensamentos, sentimentos, reuniões, pendências, frustrações deste dia.

Pause. Pausa. Respire. Deixe tudo isso desaparecer.

Agora mantenha o foco em fazer algo, agora mesmo. Basta escolher uma coisa, e apagar todas as outras distrações. Desligue o computador. Pare de ler este artigo (OK, leia mais um par de frases, em seguida, feche seu navegador!).

Deixe todos os pensamentos sobre qualquer coisa que não estejas fazendo desaparecer. Eles vão virão, mas com cuidado anote-os, e então deixá-los ir. E volte para cá, para este momento do fazer.

Se você estiver lavando um prato, faça-o lentamente, e sinta cada sensação. Se você está comendo uma fruta, sinta o gosto, senta as texturas, seja consciente da sua fome ou da falta dela. Se você estiver escrevendo algo, derrame seu coração, simplesmente sinta.

Não cogite. Apenas faça.

2 comentários:

Issa Maluf disse...

Obrigado! :)

Kobun disse...

O turbilhão do dia a dia nos leva para longe. Obrigada por me lembrar disso que parece simples, mas não é.