sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Quem é você hoje?


“A maioria de nós não se abre a maior parte do tempo, fingimos que somos pessoas abertas, mas na maioria das vezes estamos representando nosso próprio evento dramático, no qual somos o herói ou a heroína. É isso o que estamos fazendo a maior parte do tempo. Lá ficamos tão cansados que desistimos de fingir. Estamos cansados demais para sustentar o herói que pensamos ser ou o fracasso que pensamos ser, qualquer versão de nós mesmos que tenhamos adotado ― sou um fracasso, não faço o bastante, sou isso... ninguém me entende. Essas versões de nós mesmos não são muito úteis.”

(Leonard Cohen, sobre sua vida em um mosteiro zen)

Um comentário:

Frederico disse...

Porque nunca damos o devido valor a nós mesmos ?
Porque temos dificuldade em manter a auto estima ?

Controlar a mente.... não é isto desejo para mim ..... vigilância....

É muito dificil. Tem hora que penso que sou hiperativo. Minha forma de pensar menos e fazendo algo.
Há muito tempo tenho tentado através da meditação não pensar em nada.
Jamais desistirei, mas acho que finalizarei minha existência atual sem muito sucesso.